26 de fev de 2015

ENCONTRO NA TARDE CHUVOSA



ENCONTRO NA TARDE CHUVOSA
                                        Lucarocas

Numa tarde de pedidos de abraço
Em você me grudei sem sentir medo
Invadi de mansinho todo espaço
Que você me negava por segredo.

Desvendei um mistério em cada traço
Fazendo do seu corpo meu brinquedo
Relaxei num aconchego sem cansaço
Trilhando nesse instante um novo enredo.

E no tremor do encontro delirante
Vi o tempo se perder em um só rompante
Pelo aconchego de um clima de inverno.

E em delírio de tarde tão chuvosa
Senti sua boca quente e buliçosa
Jurar-me uma ilusão de amor eterno.

Fortaleza, 25 de fevereiro de 2015. 20:08h

27 de fev de 2014

Instante Prazer




INSTANTE PRAZER

Dois corpos se uniram
   Em amor perfeito
     Trazendo no peito
       Grande alegria
         Mas foi só um momento
           Que juntos ao vento
              Viveram utopia
                 Por nos corpos amantes
                   Nem por um só instante
                     Amores havia.


21 de abr de 2012


         DESILUSÃO

Estávamos sós
Na solidão de um quarto
Na maciez de uma cama
Simplesmente sem pensar
Fizemos o nosso amor.
Não consegui te amar
Quado você me cobrou.


Poema do Livro "Íntimo Amor Utópico" do Poeta Lucarocas

15 de abr de 2012


                                               FIEL AFETO

 

Colhi teu corpo

Juntei ao meu.
Unimo-nos em desejos
Carícias e beijos
Nos fez despertar.
Despertamos despidos
E juntos unidos
Começamos a chorar.
                             


Poema do Livro "Íntimo Amor Utópico" do Poeta Lucarocas

4 de abr de 2012






NUDEZ PECADORA

Mira-me a nudez
Por desejos cientes
De um amor que se fez
Sem reflexo de mente.
Nudez em pecado,
Por simples sedução
Um amor abafado
Sem dor, só paixão.
Foi o tempo vestido
Pelo nosso afeto
Que com corpos unidos
Se fez o liberto.
Passou o momento
Na hora vivida.
De um amor em relento
Uma criança nascida.

Poema do Livro "Íntimo Amor Utópico" do Poeta Lucarocas

1 de abr de 2012


ÍNTIMO AMOR UTÓPICO


Teus olhos
Queriam me encantar
Chegaram tão próximos
Veio o desejo:
Desejo de te abraçar
No abraço, as carícias.
Senti teus lábios nos meus
Teu corpo, junto ao meu estava
Minha mão correu teu corpo
Nosso amor tanto durava
    O sexo veio à cabeça
Prendi mais teu corpo ao meu
Quero que não te esqueça
    O culpado não foi eu.
Toda carícia era pouca
Ali onde se fazia amor
Tu ficaste quase louca
Já não sentia a dor.
De dores virou prazer
    O prazer foi aumentando
E agora o que fazer
Já estava acordando.


                     (Fortaleza, 1977).

Poema do livro Íntimo Amor Utópico do Poeta Lucarocas